quinta-feira, agosto 21, 2014

Sopa Fria de Tomate e Manjericão


Como já aqui disse, graças à diabetes gestacional, não posso comer sopa com batata e, seja por que razão for, este Verão não me apetece minimamente comer sopa quente. Então tenho recorrido a esta sopa fria. E não, não é gaspacho, não tem algumas coisas que o gaspacho costuma ter (como pão) e tem outras que o gaspacho não tem (como manjericão). Além disso, nem é todo passado, como o espanhol, nem todo em bocados. Foi a forma que eu encontrei de comer uma sopa cheia de legumes e de ultrapassar a minha intolerância ao pepino (que normalmente não como e até o cheiro me incomoda). É a minha versão de gaspacho e se houver por aí mais alguém com vontade de comer alguma coisa fresca ou sem poder (ou sem querer) comer pão no gaspacho, aqui fica a minha sugestão.

Ingredientes:
3 tomates médios muito maduros + 1 tomate médio maduro mas firme
1 pepino pequeno (uso mesmo muito pequenino)
1 cebola média
1 pimento vermelho pequeno
1 pimento verde grande
Manjericão
Azeite, vinagre e sal a gosto
Tabasco (opcional)

Tirar a pele e os pés aos tomates mais maduros e cortá-los em pedaços. Descascar o pepino, partir a meio, retirar as sementes com uma colher e partir em pedaços. Descascar a cebola e partir metade em pedaços. Colocar estes ingredientes no liquidificador, juntamente com um fio de azeite (uso cerca de 2 c. sopa), sal e vinagre (gosto do gaspacho bem avinagrado, por isso uso 3 ou 4 colheres de sopa, ou mais, dependendo dos tomates e das cebolas). Bater até estar completamente desfeito.
Picar o mais fino possível a outra metade da cebola. Limpar os pimentos de pé e sementes e picar muito finamente. Picar muito fino o outro tomate. Picar, igualmente, o manjericão (para esta quantidade, uso pelo menos uma chávena de folhas de manjericão fresco, mas a quantidade pode ser adaptada a gosto). Juntar estes ingredientes ao puré de tomate e ajustar os temperos: sal, azeite e vinagre. Quem gostar pode adicionar umas gotas de tabasco (eu adoro). Se estiver muito grosso, juntar água (de preferência gelada) até estar com a consistência desejada. Levar ao frio pelo menos duas horas antes de servir.

Notas:
  • Os tomates devem ser, de preferência, coração de boi ou outra variedade bem carnuda, com menos sementes. Com outras variedades de tomate, convém tirar as sementes e pode ser necessário usar bastante mais tomates.
  • O manjericão (ou qualquer outra erva aromática que se queira usar) pode ser passado no liquidificador, junto com os outros ingredientes. Tenho usado a varinha mágica porque o meu liquidificador deu o berro e a varinha mágica está perto do fim da vida também, por isso pico muito bem o manjericão e junto-o assim.
  • Não gosto de pepino, por isso uso apenas um pepino pequeno (mesmo pequenino) e tem que ser bem escondido (leia-se passado). Quem gostar, pode acrescentar pepino picado também.
  • Se a cebola for muito brava, pode-se deixar de molho em vinagre e um pouco de sal durante uns 5 minutos antes de juntar ao resto dos ingredientes. Isto pode ser feito com toda a cebola, ou apenas a que vai ficar inteira, pois a outra acaba por ficar diluída no resto dos ingredientes. Se assim for, convém só acrescentar vinagre no fim. Pode-se usar o vinagre da cebola, ou deitar esse fora e usar outro, mas a cebola acaba por levar o travo do vinagre consigo.
  • Esta foto tem uns acrescentos ao gaspacho: croutons feitos em casa e bacon frito até estar estaladiço. Fica delicioso, mas apenas lá foram parar porque estava um restinho de cada lá em casa e não fazem falta (nem os ponho, habitualmente). Um dia destes venho aqui dizer como fiz os croutons, são facílimos de fazer e deliciosos.