quarta-feira, agosto 31, 2011

Scones



No mesmo lanche em que fiz os coquinhos, também lá estavam estes scones, que fiz em versão miniatura para comer com as muitas compotas caseiras que por cá têm aparecido ultimamente. São muito macios e leves, óptimos quentinhos com compota ou, até, só com manteiga. O único que sobrou ainda estava muito bom frio, no dia seguinte.

Ingredientes (receita adaptada do livro Entertaining, da Martha Stewart)
2 ¼ ch. farinha
1 c. chá fermento em pó
¼ c. chá bicarbonato de sódio
1 c. sopa açúcar
100 g manteiga ou margarina
150 ml natas

Pré-aquecer o forno a 180º.
Peneirar a farinha com o fermento, o bicarbonato de sódio e o açúcar. Juntar a manteiga fria cortada em cubos e esfarelar com os dedos até que a manteiga fique em bocados do tamanho de ervilhas. Juntar as natas e mexer até incorporar. A massa fica bastante heterogénea, com bocados de farinha ainda sem estarem bem incorporados, mas não faz mal. O segredo de um bom scone é não trabalhar demais a massa.

Deitar na bancada enfarinhada e, com as mãos, formar um rectângulo com cerca de 2 cm de espessura. Eu cortei os scones em pequenos triângulos, com 2 a 3 cms de lado. Para isso cortei o rectângulo em quadrados de 2 a 3 cms de lado, e depois cortei os quadrados a meio na diagonal.

Colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal. Para ficarem mais estaladiços, pincelar com natas e polvilhar com um pouco de açúcar (eu fiz isso). Levar ao forno quente até estarem dourados, cerca de 18 minutos. Servir, de preferência, quentes.

segunda-feira, agosto 29, 2011

Rolinhos Primavera


É como lhes chamam os americanos, Spring Rolls. A verdade é que me parecem mais comida de Verão, porque são frescos, leves e até bastante saudáveis. Vi, na Food Network, um episódio do Diners, Drive-Ins and Dives em que uma senhora oriental (talvez Vietnamita) pequenina e muito simpática fazia um rolinhos lindos, finos e com um aspecto delicioso. Sabia que tinha que os experimentar, mas nunca mais encontrei a receita. Então improvisei, inspirada pelo que me lembrava do episódio.
 
Estes que aqui vos deixo foram servidos como prato principal num jantar leve, com uma sopa de entrada e uma sobremesa um pouco mais substancial, mas costumam ser servidos como aperitivos. Servi com dois molhos: um de amendoim, e outro de lima e gengibre. Estavam deliciosos!

Ingredientes (para 4 pessoas como prato principal):
1 embalagem folhas de arroz
1 cenoura média
1 pimento vermelho médio
200g a 300g carne cozinhada (usei um hambúrguer de peru que sobrou do almoço)
O coração de uma alface média

Molho de Amendoim (adaptado daqui):
4 c. sopa manteiga de amendoim
2 c. sopa molho de soja
4 c. sopa água quente
4 c. sopa vinagre de arroz
2 c. sopa molho sweet chili
Piri-piri a gosto

Molho de Lima e Gengibre:
Sumo de uma lima grande
2 c. chá gengibre fresco ralado
3 c. sopa molho de soja
3 c. sopa molho sweet chili
2 a 3 c. chá açúcar
Sal a gosto

Molho de amendoim:
Colocar todos os ingredientes no copo do liquidificador (ou da varinha) e misturar até ficar homogéneo. Colocar numa taça de servir.

Molho de lima e gengibre:
Misturar todos os ingredientes numa taça. Temperar com sal a gosto. Colocar numa taça de servir.

Rolinhos:
Preparar uma taça grande com água morna. Ralar a cenoura, cortar o pimento vermelho em fatias finas e a alface em juliana (cerca de 1 cm de espessura). Desfiar ou cortar a carne em tiras finas.
Pegar numa folha de arroz e humedecer durante 5 a 10 segundos na água morna. Retirar para um pano limpo. No centro, colocar um pouco de alface, um pouco de cenoura ralada e umas tiras de pimento. Por cima, colocar umas lascas de carne. Dobrar a parte da folha que está mais perto para cima do recheio, apertando bem. Dobrar os lados para dentro e continuar a enrolar até formar um “charuto” pequeno e gordo. Cortar ao meio na diagonal e dispor numa travessa. Repetir até acabar os ingredientes.
Servir os rolos, com os molhos para mergulhar os rolos antes de comer. Isto é para comer com as mãos, o que significa que não suja talheres. Também não suja panelas porque tudo é feito em cru (com excepção da carne, que podem ser sobras ou fiambre). Se há alguma coisa mais simples e agradável para comer numa noite de Verão, ainda não descobri!

Notas:
- Os molhos têm um sabor nitidamente oriental, os dois, mas são o que faz a diferença. Cá em casa toda a gente gostou mais do molho de amendoim, por ser mais picante e espesso, mas eu também gostei bastante do de lima e gengibre. Se não se quiser ir pelo caminho oriental, então pode-se experimentar uma maionese temperada (lá se vai o “saudável” da receita, mas…), ou até uma vinagreta com ervas, deverá ficar bom;
- A carne a usar poderá ser a que se preferir. Por questões de saúde, cá em casa andamos numa de carnes brancas (leia-se, frango ou peru), por isso foi o que usei. Também era o que tinha cá já cozinhado. Isto é uma óptima maneira de aproveitar restos de churrasco, que não são nada bons frios. Também se pode fazer com fiambre, presunto, ou até peixe ou marisco. O importante é que tem que estar cozinhado porque, uma vez dentro dos rolos, já não se cozinha mais;

- Os rolos, depois de feitos, podem ser fritos em abundante óleo quente até estarem dourados. É uma opção, mas não me parece que a vá experimentar tão cedo;



- As folhas de arroz (na foto acima) foram compradas no Jumbo, que tem uma secção de comida internacional cada vez melhor. O molho sweet chili, ao contrário do que possa parecer, de chili não tem nada, é mesmo doce, e comprei no El Corte Ingles. Este pode ser eliminado e poder-se-á juntar apenas algum açúcar ou mel (provando à medida que se adiciona) para obter um efeito semelhante, mas nunca igual.

sexta-feira, agosto 26, 2011

Cupcakes de Cenoura e Gengibre com Cobertura de Mascarpone





Fiz estes cupcakes para um lanche com umas amigas em Bragança e ficaram tão maravilhosos que já os voltei a fazer. O gengibre é opcional, mas dá-lhes um toque definitivamente diferente, e adulto. Para crianças (ou, pelo menos, para a maioria), talvez seja melhor eliminá-lo. A cobertura também é opcional, mas é deliciosa e não muito doce. Sirvo sempre ao lado, para quem quiser.

A melhor parte destes cupcakes é que podem ser congelados sem perder nada da sua textura e do seu sabor. Acreditem: estes que aqui vêem foram congelados e descongelados e ninguém deu por nada! E são tão fáceis de fazer que são perfeitos para fazer duas receitas e congelar. Depois, sempre que apetecer um docinho, é só descongelar um (o que acontece em menos de nada) e temos um lanche diferente!


Ingredientes (para 12 a 16 queques):
200 g cenouras, descascadas e raladas
2 ovos
¾ ch. iogurte
1 1/3 ch. açúcar
½ ch. óleo
2 c. chá gengibre fresco ralado
2 ch. farinha com fermento
1 c. chá bicarbonato de sódio
½ c. chá sal
½ c. chá canela em pó

Para a cobertura:
250 g mascarpone
2 a 3 c. sopa açúcar em pó
1 c. chá gengibre fresco ralado
Raspa de meia laranja
1 c. sopa sumo larajna

Para os cupcakes:
Aquecer o forno a 180º. Forrar uma forma que queques com formas de papel.
Numa taça, misturar as cenouras, os ovos, o iogurte, o açúcar, o óleo e o gengibre. Noutra taça misturar os restantes ingredientes. Misturá-los nos ingredientes húmidos, envolvendo sem bater. Encher as formas de papel até cima e levar ao forno 20 a 25 minutos, até que um palito inserido no centro de um queque saia limpo. Retirar os queques da forma e deixar arrefecer completamente.

Para a cobertura:
Misturar todos os ingredientes numa taça e bater com uma vara de arames. Espalhar uma colher de sopa sobre cada queque, fazendo enfeites se desejado com um saco de pasteleiro.

Nota:
- Adoro gengibre fresco, mas nunca consigo gastar todo o gengibre que compro antes que se estrague. Então descobri um truque maravilhoso: quando o compro, descasco todo e guardo, em bocados, numa saca no congelador. Tem duas vantagens: não se estraga e fica muito mais fácil de usar (rala-se muito melhor congelado do que fresco)!

quinta-feira, agosto 25, 2011

Compota de Abacaxi com Baunilha




Na onda das compotas de verão, apareceu mais esta a usar a última das vagens de baunilha mais pequenas que comprei pela internet. E ficou absolutamente deliciosa, de lamber os dedos e os beiços e a colher! Foi servida, acabada de fazer, com uns scones pequeninos (receita a aparecer brevemente) e fez as delícias de toda a gente, incluindo eu. Na foto, aparece ao lado de um requeijão caseiro particularmente cremoso, que também tem feito as minhas delícias estes dias!

Ingredientes:
1 kg abacaxi, perfumado mas não muito maduro, descascado e sem o talo central
1 kg açúcar
Sumo de 1 limão
1 vagem de baunilha, aberta ao meio no sentido do comprimento

É importante que o abacaxi seja bem descascado, sem que fique qualquer bocadinho de casca. Colocar o abacaxi descascado e cortado em cubos pequenos num tacho com o açúcar e o sumo do limão. Deixar repousar 1 a 2 horas, até dissolver o açúcar.
Juntar as sementes da baunilha (raspar as duas metades da vagem com as costas da faca) e a vagem e levar ao lume forte até ferver. Reduzir o lume e deixar ferver até atingir o ponto desejado.
Para verificar o ponto, colocar um prato no congelador por 15 a 20 minutos. Deitar uma colher de doce no prato gelado e passar a colher no meio. Se não escorrer logo, está pronto.
Deitar em frascos esterilizados, fechar bem e pasteurizar como expliquei aqui.

Nota:
Esta compota, como todas as outras que por aqui vão aparecendo, foi feita pela minha mãe. Eu vejo e vou dando a opinião em relação ao ponto. Eu gosto mais das compotas com bastante ponto, além de que assim também duram mais. Ficam, por isso, com uma cor sempre mais próxima do caramelo. Se se quiser fazer algo mais líquido, com mais molho, é só deixar ferver menos tempo. Também se pode passar tudo com a varinha mágica depois de cozido, fica um doce mais cremoso. Eu e o pessoal cá de casa gostamos dos pedaços de fruta, por isso nunca passamos as compotas.

quarta-feira, agosto 24, 2011

Pizza Tortilla



Ou a maneira mais fácil e rápida de comer pizza ao almoço, mais rápido ainda que uma pizza entregue em casa, e certamente mais barato. Ainda por cima, podemos fazê-la tão saudável (ou não) como quisermos. Isto não é bem uma receita, vai sem quantidades e tudo, e pode ser adaptada ao gosto de cada um (com estes ou outros ingredientes).

Ingredientes:
Tortillas de trigo mexicanas
Molho de tomate (usei este caseiro)
Queijo mozzarella cortado em fatias (ou ralado)
Cogumelos frescos fatiados finos (usei marron)
Fiambre (usei de frango)
Orégãos, queijo parmesão e manjericão fresco (opcional)

Pré-aquecer o forno a 220º.
Numa folha de papel de alumínio colocar uma tortilla. Cobrir com uma camada muito fina de molho de tomate. Cobrir com fatias finas de mozzarella (ou mozzarella ralada), cogumelos fatiados e fiambre. Ralar um pouco de parmesão por cima e polvilhar com uma pitada de orégãos secos.
Colocar tudo (papel de alumínio incluído) na grelha e levar ao forno pré-aquecido até o queijo derreter e a tortilla estar estaladiça nas beiras.