sexta-feira, agosto 07, 2015

Crumble de Frutos Vermelhos


Não sou, nunca fui, apreciadora de doces de frutos vermelhos. Na verdade, nem sequer de iogurtes. Adoro frutos vermelhos, todos os que já comi na vida, mas não em preparados, especialmente em preparados comprados. Nunca como iogurtes de morango, e raramente encontro iogurtes de frutos vermelhos (ou frutos do bosque) de que goste. Não gosto de cheesecake de frutos vermelhos (eu sei, eu sei), nem de gelado, e principalmente de compotas. Gosto, e muito, da compota de morango que a minha mãe faz, mas nada que seja comprado. E gosto de sangria de frutos vermelhos com champanhe, mas isso já suspeito que é mais por causa do champanhe…

No entanto, e porque sempre aparece um dia em que temos que morder a língua, ontem resolvi fazer uma coisa que há umas semanas atrás não me passaria pela cabeça: crumble de frutos vermelhos. Naquela despedida de solteira para a qual levei aqueles cupcakes havia essa tal sangria. Tão boa estava que, pouco tempo depois, quando tive um jantar cá em casa, resolvi reproduzi-la. E como os frutos vermelhos são caríssimos frescos, acabei por comprar congelados, e claro que sobraram. Ontem o meu filho veio de umas mini-férias com os avós e a madrinha (as primeiras sem os pais) e pediu-me um jantar especial. O prato principal foi pizza, particularmente do agrado do piolho. Para sobremesa, foi o tal do crumble. E não é que ficou óptimo?!

Os frutos são congelados e usei-os como vêm, com excepção dos morangos: vêm inteiros e parti-os em 4. Apesar de ter posto bastante açúcar na fruta, não ficou doce demais. Estas misturas de frutos vermelhos têm muitas frutas que são bastante ácidas. Quanto ao crumble, usei aquele que uso sempre, receita do Jamie Oliver, e que já usei antes aqui. Não pus canela porque acho que não combina muito bem com os frutos vermelhos. Em contrapartida, o gelado de chocolate combina lindamente!


Ingredientes:
500-600 g frutos vermelhos, congelados ou frescos
 4 c. sopa bem cheias de açúcar
1 c. sopa bem cheia de amido de milho
Sumo de 1 laranja grande
2-3 c. sopa vinho do Porto (opcional)
Crumble:
100 g farinha
100 g açúcar
100 g aveia
100 g. manteiga, derretida

Aquecer o forno a 180º. Misturar os ingredientes do crumble e mexer até que todos os ingredientes secos estejam bem embebidos na manteiga. A mistura fica húmida, mas solta, com uns bocados maiores e outros mais esfarelados.


Deitar os restantes ingredientes numa assadeira (usei quadrada, com 23 cm de lado) de louça ou pyrex e misturar bem. Espalhar o crumble por cima uniformemente e levar ao forno. Assar até o crumble estar dourado e a fruta sumarenta e a borbulhar pelos lados. Servir quante, com ou sem gelado ou iogurte.

segunda-feira, agosto 03, 2015

Cupcakes Red Velvet



Há algumas semanas tive a despedida de solteira de uma prima muito querida e foi uma despedida de solteira mesmo ao meu jeito: um jantar em casa da noiva, em que cada convidada levaria um petisco para partilhar. É claro que eu me ofereci para levar a sobremesa, e decidi rapidamente que tinham que ser uns cupcakes red velvet. Depois de pesquisar algumas receitas na internet (há literalmente dúzias, com e sem chocolate, com corantes artificiais ou naturais, com tudo e mais alguma coisa e quase sem nada), acabei por escolher a da Martha Stewart, que é a rainha dos cupcakes. Foi uma excelente escolha. Os queques ficaram húmidos, muito fofos, com um sabor distinto, que não é bem chocolate, é mesmo diferente. Foram um sucesso na festa e já estão na lista para serem feitos outra vez cá em casa na próxima ocasião especial.

A cobertura foi de chocolate branco e queijo creme e, apesar de ter ficado saborosa, não vou pôr aqui a receita: ficou tão dura que me rebentou o saco de pasteleiro (grosso, profissional). Quanto ao bolo, fiz tal e qual como a receita manda, com uma excepção: como não tenho buttermilk, fiz uma mistura de partes iguais de iogurte natural e leite. Os queques ficam leves e fofos, mas bastante gordurosos. Depois de os tirar da forma coloquei-os num papel absorvente a arrefecer, o que resulta bastante bem. Suponho que se poderia diminuir a quantidade de óleo vegetal a usar, mas desconfio que isso afectaria a qualidade do produto final. É um queque, nitidamente, para dias especiais. A cor, por fora, não parece muito vermelha, mas o interior dos queques é de um vermelho escuro, mas vivo. A próxima vez que fizer esta receita, vou fazer sem o chocolate e sem o corante, para ver como fica. Depois conto!


Cupcakes red velvet (para 24 queques):
2 ½ ch. farinha sem fermento (de preferência fina, mas sem fermento)
2 c. sopa cacau em pó
½ c. chá sal
1 ½ ch. Açúcar
1 ½ ch. Óleo vegetal
2 ovos grandes
1 frasco corante alimentar vermelho
1 c. chá extracto de baunilha
½ ch. Leite
½ ch. iogurte natural
1 ½ c. chá bicarbonato de sódio
2 c. chá vinagre

Aquecer o forno a 180º. Colocar formas de papel em duas formas de queques de 12 queques cada.
Numa taça média misturar a farinha, o cacau e o sal. Misturar o leite e o iogurte num copo. Numa taça grande bater o açúcar e o óleo. Juntar os ovos um a um. Juntar depois o corante e a baunilha. Juntar a farinha em três porções, alternando com a mistura de leite e iogurte.

Numa chávena misturar o vinagre e o bicarbonato de sódio. Fazer isto numa chávena de chá e por cima da massa do bolo, porque faz muita espuma e pode deitar por fora. Misturar na massa do bolo até estar incorporado. Encher as formas até ¾ e levar ao forno até que um palito inserido nos queques saia limpo, mas não seco, cerca de 20 minutos. Não deixar cozer demais, senão ficam secos.

Retirar para um tabuleiro ou bancada forrado com duas camadas de papel absorvente e deixar arrefecer completamente antes de adicionar uma cobertura a gosto.

Estes têm uma joaninha porque a noiva chama-se Joana (cliché, eu sei, mas ficaram giros!). E são dela, também, as fotos (Obrigada!).