quarta-feira, abril 18, 2012

Rolos de Pesto, Fiambre e Queijo



Mais uma vez, aquela receita de pão doce serviu para fazer umas delícias cá em casa. E como estavam deliciosos estes pães enrolados! Eu tinha em casa muito manjericão fresco, nozes e um queijo mal-cheiroso fantástico (sim, eu gosto de queijos mal-cheirosos) que achei que fariam um pesto muto bom, e foi esse que usei. No entanto, nem ponho aqui a receita (não medi nada, foi tudo a olho) porque o mais importante é usar um pesto. O queijo ralado pode ser de qualquer tipo que se goste, desde que derreta bem, e o fiambre pode facilmente ser substituído por bacon ou um fiambre de peru. Não aconselho chourição por ser mais salgado, o pesto já é, normalmente, forte.

Ingredientes:
Metade da massa dos rolos de canela, apenas com 1 c. sopa de açúcar
1 ch. pesto
200 g fiambre fatiado
200 g queijo ralado

Fazer a massa e esticar como para os rolos de canela, mas usando apenas 1 colher de sopa de açúcar. Depois de esticada, barrar com o pesto numa camada uniforme (usei as mãos por ser mais fácil espalhar assim). Cobrir com o fiambre e com o queijo.

Começando num dos lados mais longos, enrolar, apertando bem. Fechar bem a junção para não sair o recheio. Cortar em fatias de 2 a 3 cm e coloca-las, com o lado cortado virado para cima, num tabuleiro forrado com papel vegetal. Tapar com um pano e deixar levedar até dobrar de volume (30 minutos a 1 hora).

Aquecer o forno a 200º. Quando estiver quente, colocar o tabuleiro com os rolos no meio do forno e deixar cozer até estarem dourados e bem cozidos, 20 a 30 minutos. Servir quentes.

Notas:
- Tal como acontece com os rolos de canela, a massa pode ficar a repousar no frigorífico antes de ser esticada. Foi o que fiz e é o que normalmente faço por duas razões: posso fazer a massa quando me dá mais jeito e na hora de cozer demora menos tempo; depois de descansar no frigorífico umas horas a massa fica mais fácil de esticar. Se for o caso, deixar levedar um pouco mais, pelo menos 1 hora, ou colocar no forno aquecido a 100º mas desligado para levedar mais depressa (neste caso deverá demorar cerca de 30 minutos).
- O tabuleiro que usei tinha cerca de 25x35cm. Não aconselho fazer num tabuleiro menor, mas pode-se perfeitamente fazer num maior, simplesmente ficam mais separados.

quinta-feira, abril 12, 2012

Trufas de Chocolate de Leite e Laranja



Adoro trufas de chocolate, de todas as formas e feitios e com qualquer tipo de sabor ou cobertura, desde que não sejam unicamente de chocolate branco. Prefiro as de chocolate preto, quanto mais intenso melhor, mas as outras também não escapam à minha gula.

Nesta Páscoa havia lá por casa uma super-abundância de chocolate de leite, graças à enorme generosidade de primos que vivem na Suíça e nos trazem chocolate aos quilos (não faz mal, podem continuar a trazer que a gente cá o come!). Então saíram estas trufas, com muito chocolate de leite e pouco chocolate de culinária. Se fosse so para nós, em casa, seriam aromatizadas com canela, e talvez um pouquinho de piri-piri para apimentar as coisas, mas como a minha cunhadinha não gosta de canela, foram aromatizadas com laranja. Curiosamente, o sabor da laranja sente-se muito mais nas trufas frias do que na ganache ainda quente.

A cobertura foi determinada pela época festiva e porque me ofereceram um sem-número de confeitos coloridos. Tenho tentado arranjar formas originais de os usar, já que não tenho tido tempo de fazer bolos ou bolachas enfeitados. Foram um sucesso, em particular com o piolho da casa, que adorou, mas não aconselho as bolinhas de açúcar grandes. Tornam a trufa demasiado crocante e tiram-lhe o sabor. As outras, são perfeitas para uma mesa de festa.

Ingredientes (para cerca de 30 trufas pequenas):
300 g chocolate de leite, picado finamente
100 g chocolate de culinária, picado finamente
200 ml natas
Casca de meia laranja (apenas o vidrado)
Confeitos coloridos para enfeitar

Num tachinho levar ao lume as natas com a casca da laranja até estarem quase a ferver – até aparecerem pequenas bolhinhas nas paredes do tacho (ou aquece-las até ao mesmo ponto no micro-ondas). Deixar em infusão 20 a 30 minutos. Retirar as cascas de laranja, voltar a aquecer até estarem quase a ferver e verter imediatamente sobre o chocolate. Deixar repousar 1 a 2 minutos e mexer com uma vara de arames até o chocolate estar completamente derretido. Se necessário levar ao micro-ondas em intervalos de 30 segundos em potência média para derreter completamente. Deixar arrefecer completamente e reservar no frigorífico pelo menos 4 horas para solidificar.

Depois de bem frio, retirar colheradas (com uma colher de chá ou sobremesa) e, com as mãos húmidas (não encharcadas), formar bolinhas. Cobrir com os confeitos coloridos e colocar em caixinhas de papel frisado para servir.

Notas:
- Como disse acima, as natas podem ser aromatizadas com qualquer outra coisa. Na minha lista de sabores a experimentar com urgência estão a canela, a malagueta e a hortelã.
- Para cobrir as trufas, em vez dos confeitos, pode usar-se açúcar em pó, cacau em pó, canela em pó, ou até cristais de açúcar.
- Para quem quiser umas trufas mais intensas, pode-se usar apenas chocolate preto. Quanto maior o teor de cacau, mais intenso será o sabor. Se necessário, pode-se acrescentar algum açúcar em pó às natas, embora nunca o tenha feito.

sexta-feira, abril 06, 2012

Perfeito, perfeito, perfeito!



Quando pus estes copos elegantes na mesa para a sobremesa, perguntaram-me como se chamava a dita… Não soube responder. A inspiração para ela veio daqui, mas não foram propriamente feitas em copos de shot. Acho que somos todos gulosos demais para nos contentarmos com tão pouco! Ainda por cima uma coisa tão boa e tão fácil de fazer!

Uma pesquisa na net fez-me pensar que se trata mais de algo parecido com um parfait. Seria um trifle se, em vez de bolachas, tivesse bolo molhado em licor. Com o piolho cá de casa, não é propriamente uma opção. Esta, em contrapartida, ele adorou!

Uma Boa Páscoa a todos!

Parfait de Morangos e Mascarpone (adaptado daqui)

Para 6 pessoas:
170g bolachas de aveia
500g mascarpone
½ ch. curd de tangerina
2 c. sopa bem cheias açúcar em pó
2 a 3 c. sopa leite
250g morangos maduros
2 c. sopa açúcar

Partir os morangos em pequenos pedaços e macerar com o açúcar durante 15 a 20 minutos. Picar as bolachas, à mão ou na picadora, e reservar. Misturar o mascarpone com o açúcar e o curd de tangerina. Juntar 2 a 3 c. sopa de leite, mexendo sempre, até ficar com uma consistência de mousse.

Num copo de pé alto ou em copos de vidro de iogurte colocar uma colher de sopa de bolacha picada. Por cima colocar uma camada de mousse de mascarpone e uma colher de sopa de morangos, com o líquido que entretanto se formou. Repetir as camadas mais uma vez – bolacha, mousse e morangos. Levar ao frigorífico pelo menos 1 hora antes de servir.

Notas:
- O mascarpone pode ser substituído por queijo creme (tipo philadelphia) ou por natas batidas. Neste caso não é preciso usar o leite para diluir.

- O curd de tangerina fui eu que o fiz, mas não me lembro bem da receita que usei. Não ficou com um sabor muito acentuado, se se quiser um sabor forte a tangerina aconselho usar mais alguma raspa de casca de tangerina. Pode, em alternativa, usar-se curd de limão, que se encontra com facilidade nos supermercados. Uma boa alternativa para quem não quer usar curd seria um chantilly aromatizado com raspas de limão ou laranja (ou um licor de frutas).

terça-feira, abril 03, 2012

Paté de Truta Fumada



Descobri esta receita no site do Jamie Oliver, e soube imediatamente que tinha que a fazer. Antes de mais nada, adoro peixes fumados, sejam quais forem, portanto tinha que gostar deste paté. Ainda por cima, leva um ingrediente que andava mortinha por experimentar: horseradish.

Para quem nunca ouviu falar, horseradish (rábano picante) é uma planta da família dos bróculos, da mostarda e das couves, e o preparado de horseradish é obtido a partir da raiz dessa planta. Tem um sabor estranho que, pessoalmente, me faz lembrar o do nabo (de que não gosto mesmo nada!) mas um pouco picante, portanto já estava preparada para me desiludir com o paté… Afinal, ficou uma delícia e o horseradish não o deixa a saber a nabo, apenas lhe dá um picante mesmo muito agradável. Foi devorado em três tempos e já várias vezes repetido!

Ingredientes (para 4 pessoas) (adaptado daqui):
1 lata filetes de truta em vinho branco
1 lata filetes de truta fumada
1 iogurte natural sem açúcar, escorrido num passador forrado com papel de cozinha durante 4 a 6 horas
1 c. sopa cebola picada muito fina
2 a 3 c. chá de preparado de horseradish
Sumo e raspa de meio limão
1 c. sopa salsa finamente picada
Pimenta preta a gosto

Escorrer muito bem os filetes de truta, retirar a pele e desfazer. Misturar com os restantes ingredientes. Temperar com pimenta preta e levar ao frigorífico até à hora de servir.

Notas:
- A receita original leva queijo creme (tipo philadelphia), mas resolvi experimentar com o iogurte escorrido e adorei. Também já fiz com maionese e ficou na mesma uma delícia.


- Usei filetes de truta em vinho branco e os filetes de truta fumada da Comur, que apenas encontro no supermercado do El Corte Inglês. Não o experimentei ainda, mas em vez das duas latas de truta de conserva, pode-se usar um resto de truta cozinhada para fazer o paté. Nesse caso, usar apenas a truta fumada de conserva. Pode usar-se, também, truta fumada sem ser em conserva.