terça-feira, fevereiro 21, 2012

Um Aniversário Especial



Um dos meus blogs preferidos, o Cinco Quartos de Laranja, faz anos este mês. Apesar de andar longe da cozinha e com muito pouco tempo para pensar em cozinhar, não quis deixar de dar os parabéns à Laranjinha, principalmente quando o desafio era tão simples: fazer uma receita com laranja. Não tenho muito o hábito de incluir citrinos nas minhas receitas, até porque não sou grande fã de limão (eu sei, eu sei, quem é que não gosta de limão?), mas a laranja é fácil de incluir em quase tudo, mais ainda se for uma sobremesa. E como, ultimamente, só vou para a cozinha para fazer doces, foi isso mesmo que saiu desta vez.

Esta sobremesa já aqui tinha sido testada, com esta receita. Na altura fiz numa tarteira e ficou bom, mas desta vez resolvi fazer em ramequins individuais. Por um lado, coze mais depressa, mas também é mais fácil de servir, uma dose individual prontinha, sem riscos de se comer segunda vez. Como, ainda por cima, tem mais fruta que bolo, poder-se-á considerar uma sobremesa saudável!

A receita de bolo que usei desta vez não foi a mesma, usei a receita deste bolo, com algumas alterações, nomeadamente o uso do sumo e da raspa da laranja. O resultado foi uma sobremesa não muito doce, leve e absolutamente deliciosa, especialmente quentinha, acabada de sair do forno! E com ela aqui deixo os parabéns ao Cinco Quartos de Laranja, com desejos de que nos continue a deliciar por mais 6 anos vezes muitos!

Ingredientes (para 8 ramequins individuais)
5 peças de fruta (usei 3 pêssegos e 2 maçãs)
Sumo e raspa de uma laranja
1 chávena bem cheia de farinha com fermento
¼ c. chá bem cheia de bicarbonato de sódio
¾ ch. açúcar
50g manteiga derretida
1 iogurte natural
2 ovos
Manteiga para untar os ramequins

Aquecer o forno a 180º. Untar oito ramequins com manteiga. Descascar, descaroçar e partir a fruta em pedaços de cerca de 1 cm. Juntar-lhe metade do sumo de laranja e reservar.

Numa taça misturar com uma vara de arames a farinha, o bicarbonato de sódio e o açúcar. Juntar, de uma vez só, os ovos, o iogurte, o restante sumo de laranja, a raspa da laranja e a manteiga derretida. Mexer muito bem, até formar uma massa homogénea.

Dividir a fruta pelos ramequins (pus cerca de duas colheres de sopa bem cheias em cada um). Cobrir com a massa de bolo, dividindo entre todos os ramequins (também pus duas colheres de sopa bem cheias em cada um). É preferível, se não se tiver a certeza de quanto levam, fazer por partes: uma colher de fruta em cada um, depois mais uma em cada um, e assim sucessivamente até acabar a fruta e terem todos a mesma quantidade. O mesmo com o bolo. O bolo pode não cobrir totalmente a fruta, não faz mal.

Colocar os ramequins num tabuleiro e levar ao forno, na prateleira do meio, até estarem dourados e um palito inserido no meio sair sem migalhas de bolo (mas húmido da fruta), cerca de 20 minutos. Servir quente ou morno, polvilhado com açúcar em pó.

Com esta receita, participo no desafio 6 anos e uma receita com laranja, do Cinco Quartos de Laranja.

Notas:
- Além do sumo e da raspa de laranja, podem acrescentar-se outros sabores: já voltei a fazer com canela, e ficou bom; o gengibre combina também muito bem com a laranja.
- Antes de ir ao forno, pode-se polvilhar com açúcar, para formar uma crosta dourada por cima que também fica muito bem. Já os fiz assim e ficaram deliciosos.
- Para uma sobremesa mais rica, podem-se desenformar, e servir com uma bola de gelado, sorvete, ou natas batidas.

domingo, fevereiro 05, 2012

Um Bolo de Aniversário e as Minhas Primeiras Cake Balls


A minha cunhadinha é um doce, linda de morrer e maravilhosa, para o irmão que ela idolatra, para mim e, principalmente, para o meu filhote (e afilhado dela) que ela ama acima de todas as coisas. Daí que, todos os anos, eu me esforce por lhe fazer um bolinho de aniversário que diga o quanto nós todos gostamos dela. Este ano foi assim!

A foto não faz justiça ao bolo. Estava muito mais bonito do que isto e, definitivamente, muitíssimo mais delicioso. A receita do bolo é a receita de uma torta de chocolate que vi no blog The Cookie Shop (que, além desta receita linda, tem as bolachinhas decoradas mais lindas que se podem imaginar) que tinha experimentado no Ano Novo mas que, infelizmente, acabou no lixo (acidentes também acontecem por estes lados). Apesar do azar, a receita pareceu-me maravilhosa e decidi logo ali que iria ser a base do bolo de aniversário da Raquel.

Quanto a decoração, a coisa estava mais difícil… Não tenho tido muito tempo e menos paciência ainda, mas andava cheia de vontade de experimentar fazer cake balls (a este respeito, é obrigatória uma visita a esta senhora, que faz verdadeiras maravilhas). Ou melhor, cake pops, mas desta vez ficaram sem o pé e foram cake balls mesmo. O veredicto: fantástico! As bolinhas dão um bocadinho de trabalho e demoram algum tempo a fazer, mas não é nada difícil e, além de fazerem um vistão, são BOAS!!!! A receita que aqui deixo é exatamente aquela que fiz, sem tirar nem pôr. Tinha pensado pôr-lhes um pouco de licor, mas ficou para outra oportunidade. Quando experimentar, venho cá contar como foi!

Para o bolo (receita daqui) – fiz duas vezes esta receita, cada uma assada num tabuleiro de 25x40cm – para 25 a 30 pessoas:
8 ovos
1 pitada de sal
6 c. sopa açúcar
½ ch. farinha com fermento
½ ch. chocolate em pó

Recheio:
200 ml natas para bater, bem frias
500 g morangos, lavados, sem pé e partidos em pedaços pequenos
2 a 3 c. sopa açúcar

Cobertura:
200 ml natas
300 g chocolate preto

Cake Balls (fiz 13 brancas e 8 pretas):
Bolo (fiz a receita completa, mas só usei metade para as bolas):
250 g manteiga ou margarina
6 ovos
2 ch. açúcar
3 ch. farinha com fermento
¼ ch. cacau em pó (4 c. sopa)
Bolas:
200 g queijo creme (tipo Philadelphia)
1 c. sopa açúcar
200 g chocolate branco
200 g chocolate preto

Preparar o bolo:
Aquecer o forno a 180º. Untar dois tabuleiros de 25x40cm com manteiga, forrar o fundo com papel vegetal e untar o papel vegetal. Misturar a farinha com o chocolate em pó e mexer com uma vara de arames. Separar os ovos e deitar as claras numa taça bem grande, juntando-lhes uma pitada de sal.

Bater as claras em castelo. Juntar o açúcar, uma colher de cada vez, e bater até estarem firmes e brilhantes, mas sem deixar secar. Juntar as gemas uma a uma, batendo sempre. Envolver a mistura de farinha com chocolate, deitando pouco a pouco sobre os ovos e mexendo com uma colher de metal, em movimentos circulares de baixo para cima, rodando a taça ¼ de volta de cada vez. Envolver totalmente, mas sem bater.

Deitar a massa num dos tabuleiros, espalhar bem, alisar a superfície e levar ao forno pré-aquecido cerca de 20 minutos, ou até que um palito inserido no meio do bolo saia seco. Entretanto, repetir o processo com os mesmos ingredientes e deitar a massa no outro tabuleiro. Quando o primeiro bolo estiver assado, colocar o segundo no forno e proceder da mesma forma. Deixar os bolos arrefecer 5 minutos, passar uma faca em toda a volta e desenformar. Retirar o papel vegetal com cuidado e deixar arrefecer completamente (não demoram muito pois são relativamente finos).

Fazer o bolo para as cake balls:
Enquanto o segundo bolo assa, derreter a manteiga para o bolo das cake balls. Juntar o açúcar e bater. Juntar os ovos inteiros um a um, batendo bem entre cada adição. Juntar a farinha misturada com o cacau em pó em três fases, batendo bem com uma colher de pau (até a massa fazer bolhinhas). Deitar numa forma redonda untada e enfarinhada. Quando o segundo bolo estiver cozido, colocar este no forno e deixar cozer até passar no teste do palito (45 a 50 minutos). Desenformar e deixar arrefecer completamente.

Fazer o recheio e a cobertura do bolo:
Enquanto os dois bolos para a base estiverem a arrefecer, arranjar os morangos e mistura-los numa taça com o açúcar. Deixar a macerar 30 minutos. Quando os bolos estiverem frios, bater as natas até estarem bem presas. Envolver os morangos, reservando 5 a 6 c. sopa do líquido que se formou.
Para a cobertura, picar o chocolate. Aquecer as natas num tachinho até estarem quase a ferver, deitar sobre o chocolate picado e mexer com vara de arames até estar totalmente derretido (fazer isto imediatamente antes de montar o bolo, para se manter líquido e fácil de espalhar).

Montar o bolo:
Colocar um dos bolos num prato de servir. Por cima espalhar o recheio, deixando cerca de 1 cm livre em toda a volta. Com cuidado, colocar o segundo bolo por cima. Deitar a cobertura no meio do bolo e ir espalhando lentamente, com uma espátula, cobrindo todo o bolo (topo e lados). Reservar no frigorífico.

Fazer as cake balls:
Desfazer metade do bolo feito para as cake balls em migalhas finas para uma taça grande. Numa taça mais pequena, bater o queijo creme com vara de arames até estar macio. Juntar o açúcar e 5 a 6 c. sopa do líquido de macerar os morangos e bater bem. Juntar às migalhas do bolo e mexer bem, com uma colher ou com as mãos (como eu fiz) até estar uniformemente humedecido e ser possível formar bolas com a massa. Formar as bolas (fiz com cerca de 5 a 6 cm de diâmetro), colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal e levar ao frigorífico cerca de 1 hora, para solidificarem.

Picar o chocolate branco. Colocar ¾ numa taça e levar ao micro-ondas em intervalos de 30 segundos até estar totalmente derretido (cuidado para não queimar). Juntar o restante chocolate branco picado e mexer com uma colher até que esteja todo derretido (vi a Ina Garten fazer isto num programa da Food Network para temperar o chocolate e posso dizer que resulta lindamente). Tirar as bolas do frigorífico e, com a ajuda de um garfo e uma colher, cobri-las totalmente com o chocolate branco. Usar o garfo para as escorrer e colocar de novo no tabuleiro forrado com papel vegetal (pode ser o mesmo). Voltar a colocar no frigorífico.

Fazer o mesmo processo com o chocolate preto. Cobrir as restantes bolas com o chocolate preto e levar novamente ao frigorífico para solidificar. Para escrever parabéns nas bolas brancas, usei o resto do chocolate preto derretido e um saco de pasteleiro e escrevi as letras nas bolas totalmente solidificadas.
Retirar o bolo do frigorífico e enfeitar com as bolas pretas e brancas, pressionando para aderirem à ganache.

Notas:
- Isto foi um bolo de aniversário para 25 pessoas e sobrou bolo. Fiz o processo mais ou menos na ordem que aqui descrevo e demorei cerca de 7 horas a fazer tudo, incluindo o tempo que as coisas estiveram no frigorífico a descansar. Os bolos podem ser feitos de véspera, tornando o processo mais rápido no dia, mas as bolas têm sempre de repousar no frigorífico pelo menos 30 minutos entre cada passo.

- A cobertura é apenas suficiente para barrar o bolo numa camada muito fina (e, ainda assim, foi preciso algum cuidado e perícia para não faltar). Se fizesse novamente, colocaria mais 1 dl de natas e 100 g de chocolate preto, mas assim fica bom para quem não gostar muito de cobertura (que era o caso da aniversariante).

- As cake balls ficaram húmidas, que me parece que é o que se quer. Se não houver o líquido de macerar os morangos, um pouco de licor ou, se for para crianças, leite deverá fazer o mesmo efeito. A ideia era tornar o queijo creme mais líquido para ser mais fácil de incorporar nas migalhas de bolo.

- As receitas de cake balls que vou vendo por essa net fora usam, quase sempre, bolo comprado e “frosting” comprado também. O “frosting” é aquele creme de manteiga de que eu, regra geral, não gosto nem um bocadinho. Como também já vi feitas com queijo creme, experimentei e gostei. Se não quiserem usar queijo creme, suponho que chantilly ou, até, um iogurte bem espesso resultasse bem. Um dia destes experimento e depois conto como foi!

quarta-feira, fevereiro 01, 2012

Bacalhau com Broa


Cá por casa, manda a tradição que, na noite de fim de ano, se coma bacalhau cozido, tal como acontece na noite de Natal. Mas, também por cá, a tradição já não é o que era, e entre a pouca vontade de repetir o menu e a muita vontade de aproveitar as esplêndidas postas de bacalhau para algo melhor do que um cozido, surgiu a vontade de o fazer com broa.

Vi, ao longo do tempo, dezenas de receitas de bacalhau com broa. A maior parte delas mandam cozer ou aferventar o bacalhau, que depois vai ao forno, em posta ou em lascas, coberto pela broa. Ora eu sou uma pessoa muito prática e não gosto de sujar mais utensílios do que o estritamente necessário. Acresce a isto o facto de gostar mais do bacalhau assado do que cozido e de gostar do bacalhau com broa inteiro e não lascado. Destas preferências todas e duma mistura de bom senso culinário e todas as receitas que já vi, nasceu esta receita de bacalhau com broa. É mais uma, mas esta é minha.

Para 4 pessoas:
4 postas de bacalhau do lombo demolhado
1 cebola média, descascada e cortada em meias-luas finas
3 a 4 dentes de alho, finamente picados
1 dl vinho branco
500 g miolo de broa de milho, de preferência amarela, de boa qualidade
azeite

Aquecer o forno a 200º.

Numa assadeira onde caibam as postas de bacalhau sem muito espaço extra, colocar a cebola, 1 ou 2 dentes de alho picados, metade do vinho e um fio de azeite. Por cima, colocar as postas de bacalhau com a pele virada para cima e regar com mais azeite. Levar ao forno cerca de 20 minutos, até começarem a dourar.

Entretanto, desfazer a broa e misturar com mais 1 ou 2 dentes de alho muito bem picados, o restante vinho e azeite suficiente para formar uma massa homogénea, húmida mas não molhada. Passados os 20 minutos retirar o bacalhau do forno, virar as postas com a pele para baixo e cobrir totalmente com a broa. Se necessário, acrescentar mais azeite ou vinho (ou água) para não secar. Levar novamente ao forno até estar assado e a broa estar dourada, cerca de 20 a 30 minutos mais.

Pode ser servido com batatas a murro e grelos salteados, ou couves cozidas, ou apenas com as verduras ou uma salada. Com esta quantidade de broa, fica uma camada bem grossa e um prato bastante rico.