quinta-feira, agosto 11, 2011

Crème Brûlée



Há tempos que andava com vontade de experimentar o verdadeiro Crème Brûlée francês e as vagens de baunilha em abundância que por cá há estes dias deram-me a desculpa perfeita para o fazer. Curiosamente, para mim foi uma desilusão. É tudo o que promete ser: cremoso, rico, com um sabor inconfundível a natas e baunilha. E o meu problema foi, precisamente, a intensidade do sabor a natas. Não sou fã de natas nas suas formas mais puras e não gostei muito desta sobremesa (acho que se nota pela foto vergonhosa que a acompanha). Prefiro, realmente, o nosso bom e velho leite-creme!

No entanto, parece que o problema é meu, porque todas as outras pessoas que experimentaram disseram que estava muito bom. Por isso, e porque é, na realidade, muito fácil de fazer, aqui fica a receita, inspirada nesta, nesta e nesta mas com o inevitável toque pessoal porque tinha o computador desligado e não me apetecia ligá-lo só para ver as quantidades certas das coisas… O que interessa é que deu certo!

Ingredientes:
1 l natas
8 gemas
¾ ch. açúcar + algumas colheres para polvilhar e queimar
1 vagem baunilha

Deitar as natas numa caçarola. Abrir a vagem de baunilha ao meio e, com as costas da faca, raspar as pequenas sementes. Juntar as sementes e a vagem às natas e levar a lume médio até começar a borbulhar junto às paredes da caçarola. Retirar do lume e deixar 30 minutos em infusão.

Aquecer o forno a 150º. Bater as gemas com o açúcar até ficarem grossas e de um amarelo pálido. Juntar as natas ainda quentes, uma concha de cada vez e mexendo sempre com um batedor de varas. Retirar a vagem de baunilha.

Deitar a mistura de natas e gemas em taças de louça que possam ir ao forno. Colocar as taças dentro de um tabuleiro e encher até meio das taças com água quente. Levar ao forno cerca de 30 minutos, até ficarem firmes mas ainda ligeiramente moles no centro. Não deixar alourar. Deixar arrefecer e colocar no frigorífico até estarem bem frias.

Espalhar açúcar por cima do creme já frio e queimar com um maçarico ou com um ferro de queimar leite-creme.

Notas:

- Em vez de fazer no forno, pode-se voltar a levar a mistura de natas e gemas a lume brando e deixar engrossar sem ferver. Está pronto quando a mistura cobrir com uma camada grossa as costas de uma colher de metal e, quando se passa um dedo pelo meio, a mistura não escorre logo. Demora menos tempo, mas é preciso estar sempre a mexer a mistura para que não queime. Pessoalmente, prefiro a versão de forno;

- A vagem de baunilha usada NÃO deve ser deitada fora: lava-se, seca-se e junta-se a um frasco com açúcar. Deixa-se durante 2 ou 3 semanas e tem-se açúcar baunilhado. Vou fazer isso com todas as vagens de baunilha que for usando nos próximos tempos.

Sem comentários: