segunda-feira, outubro 21, 2013

Cake Pops


A base é um bloco de esferovite da TV que comprámos há tempos, embrulhada em papel crepe.

Ainda o aniversário do Diogo. É verdade, fiz muita coisa, muitas receitas doces e salgadas, algumas com muito sucesso, outras nem tanto. No que diz respeito aos doces, para além do bolo de aniversário e dos cupcakes do Mickey, fiz gelatinas, mousse de chocolate e baba de camelo, que servi em copinhos de plástico, daqueles que servem para o café. Acho que foi uma boa ideia, que já vi em vários sítios. Os copinhos são muito mais fáceis de agarrar e comer do que uma taça grande para servir em taças mais pequenas. Ainda por cima, quando se trata de crianças, os copos de plástico pequenos são do tamanho das mãos deles, mais difíceis de deixar cair e, ainda que caiam, não partem. A mousse ficou muito boa, um diz destes ponho cá a receita, a baba de camelo nem tanto. Separou… Ainda preciso de a aperfeiçoar (aceitam-se sugestões).

Como o tema era o Mickey, fiz também umas bolachinhas com o formato (mais ou menos) da cabeça do Mickey. Ficaram muito boas e foram os doces que mais se comeram. Usei uma receita que uso sempre e um método muito simples, mas fica para a próxima. Para já, o assunto são os cake pops. Andava com vontade de os experimentar há séculos, na verdade desde que descobri o site da Bakerella. Ela faz verdadeiras obras primas em forma de bolinha de bolo, mas eu não tinha ideias de fazer nada tão elaborado (nem acredito que o conseguisse!). A minha intenção inicial era fazer estes, mas acabou por não dar (não perguntem!).

No fim de contas, fiz apenas umas bolinhas cobertas de uma cobertura da cor do chocolate (mas que não era chocolate) e com granulado colorido. O efeito ficou giro e os cake pops ficaram deliciosos. Um aviso, no entanto: por alguma razão que ainda não consegui descortinar, os miúdos (para quem se destinavam, em última análise, os docinhos) não tocaram nos cake pops. Não sei porquê, estavam bons e nos dias seguintes fizeram sucesso com o Diogo lá em casa, mas na festa ninguém lhes tocou (os adultos também não os quiseram). Mas são giros, fáceis de fazer e enfeitam muito uma mesa de aniversário. Demoram algum tempo a fazer, mas afinal, nestas coisas, o que é que não demora?...

Cake Pops (receita adaptada daqui, criada pela Bakerella)
1 bolo de chocolate (usei uma receita que nem coloco de tão má, mas os pops ficaram bons na mesma)
1 ch. creme de manteiga (buttercream)
1 pacote de candy melts (usei estes)
Palitos para cake pops (ou palitos de espetadas)

Fazer um bolo, qualquer, com qualquer receita. Não precisa de ser de chocolate, mas foi o que usei. A receita que usei deu um bolo normal, que cozi em forma de buraco, mas que ficou mesmo muito mau. No final, com o buttercream e a cobertura, acabou por ficar na mesma saboroso. A Bakerella recomenda usar um bolo instantâneo e parece-me que o resultado final seria igualmente bom (se não melhor, o meu bolo ficou mesmo fraquinho).

Depois de frio, desfazer o bolo até estar em migalhas, à mão ou no robot de cozinha. Juntar o creme de manteiga e misturar bem. Usei um resto do creme que tinha feito para decorar o bolo que o Diogo levou para a escolinha que fiz com 250 g manteiga, 350g a 400 g (não medi, foi a olho) de açúcar em pó e 1 c. sopa extracto de baunilha. Pode não ser necessário todo o creme, a massa deve ficar apenas suficientemente húmida para se poderem moldar as bolinhas com facilidade: se apertarmos um pouco de massa na mão, deve ficar junta. Fazer bolinhas com 2 ou 3 cm de diâmetro, coloca-las num tabuleiro forrado com papel vegetal e levar ao congelador cerca de 30 minutos.

Derreter os candy melts no micro-ondas (atenção, derretem em menos de um ai) numa caneca funda e estreita. Eu derreti metade de cada vez porque a caneca era pequena e resultou bem. Retirar as bolinhas do congelador, mergulhar a ponta de um palito na cobertura, espetar na bolinha de bolo e mergulhar de seguida toda a bolinha na cobertura. Não rodar (senão a bolinha sai), apenas mergulhar e, se necessário, ajudar com uma colher pequena. Retirar, deixar escorrer o excesso de cobertura e espetar num pedaço de esferovite para secar. Para cobrir com os confeitos, polvilhar com a mão por cima da cobertura imediatamente. É melhor fazer isto em cima de um prato, para não ir tudo para o chão.

Esta cobertura seca muito rapidamente. Eu tinha três filas na minha esferovite, quando acabava a terceira fila de cake pops, a primeira estava seca e podia retira-la para um prato para colocar os outros a secar. Esta quantidade deu mais de 50 bolinhas de cerca de 2 cm de diâmetro. A cobertura deu para cobrir menos, talvez entre 30 e 35 (não contei…). Os outros ficaram no congelador. Fiz novamente ontem, cobertos com chocolate branco e ficaram muito bons.


Os candy melts não têm um sabor particularmente bom, mas também não sabem mal e são muito mais fáceis de utilizar do que chocolate, por exemplo. Dentro do chocolate, o branco é muito mais fácil de trabalhar do que o negro, desde que seja de boa qualidade. Comprar chocolate branco de má qualidade para derreter dá mau resultado (confiem em mim, eu já experimentei e não recomendo!). Os candy melts podem-se encontrar em praticamente todas as cores que se possa imaginar, são fáceis de trabalhar e secam duros e muito depressa.

Sem comentários: