terça-feira, Abril 19, 2011

Bola de Carne



Neste momento, e já há alguns meses, o meu blog favorito é o da Pioneer Woman. E não é só pela comida… Acho a história dela maravilhosa (até já deu romance) e adoro a forma como ela escreve e as fotos maravilhosas que tira, das coisas mais simples às mais elaboradas. É um blog multifacetado mas não há dúvidas que o que me traz de volta uma e outra vez é a comida: simples, deliciosa, e às vezes (poucas) até equilibrada. Comida para homens e miúdos saudáveis e comilões, e para mulheres como eu: que gostam de comer e cozinhar e de ver os outros a comer o que nós fazemos.
Uma das coisas que há muito me despertou a curiosidade neste blog foi a versão dela dos tão americanos (e deliciosos) Cinnamon Rolls, ou rolos de canela. Parecia extraordinariamente simples e com a vantagem de poder esperar no frigorífico até estarmos prontos ou termos tempo para tratar dela devidamente. Perfeito!
Por isso, quando no Domingo me apeteceu fazer uma bola de carne para a madrinha do meu piolho, lembrei-me daquela massa que a Pioneer Woman usa não só para os Cinnamon Rolls, mas também para fazer Dinner Rolls. Só tinha um pequeno problema: a massa não levava ovos e uma bola de carne tem que levar ovos… Então adaptei: substitui metade do leite por ovos, substitui o óleo por manteiga e reduzi a quantidade de açúcar para um quarto (não queria uma massa doce).
Só posso dizer que esta foi a primeira de muitas vezes que vou utilizar esta massa, com estas adaptações, com outras, ou sem adaptações nenhumas: é maravilhosa, incrivelmente fácil de fazer, e resultou numa bola fofa e tão saborosa dois dias depois como na hora em que foi feita! Uma óptima ideia para a Páscoa, ou para outra altura qualquer. Recomendo vivamente e acho que para a próxima vou fazer os tais Cinnamon Rolls.
Já agora, o Diogo já tem a peça nova na barra e outra de reserva. A ver vamos quanto tempo dura esta...

Para uma bola com mais ou menos 25x40 cm:
Massa (adaptada daqui)
1 ch. leite
100 g. manteiga
2 c. sopa açúcar
1 pacote fermento de padeiro seco (usei Fermipan)
1 ch. ovos (4 ovos tamanho M)
4 ch. + ½ ch. farinha de trigo T65
½ c. chá bem cheia fermento (pó Royal)
½ c. chá mal cheia bicarbonato de sódio
1 c. chá sal

Recheio:
150 g chourição
200 g fiambre
100g bacon fatiado

Deita-se o leite, a manteiga e o açúcar num tacho grande e escalda-se – deixa-se aquecer até estar quase a ferver. Tira-se do lume e deixa-se arrefecer até estar morno, mas não quente (ao colocar a mão no lado de fora do tacho, ele deve estar bem morno, mas não escaldar).
Deita-se o fermento de padeiro por cima e deixa-se hidratar. Batem-se os ovos e untam-se à mistura de leite. Acrescentam-se 4 ch. de farinha e mexe-se com uma colher de pau até estar bem incorporado. Tapa-se o tacho e deixa-se levedar em lugar quente até dobrar de volume (pus um pano dobrado em 4 em cima do bico de vitrocerâmica onde aqueci o leite e coloquei o tacho por cima; demorou pouco mais de meia hora a levedar).
Quando tiver dobrado de volume, deita-se mais ½ ch. de farinha, o sal, o fermento (Royal) e o bicarbonato de sódio e mexe-se com uma colher de pau até estar bem incorporado.
A massa fica muito mole e difícil de estender. Segundo as instruções da Pioneer Woman, pode-se levar ao frigorífico por umas horas para ficar mais consistente e fácil de estender, mas é claro que eu não fiz isso…
Unta-se um tabuleiro de 25x40 cm com azeite e deita-se metade da massa. Vai-se estendendo com os dedos também untados até estar esticada de forma mais ou menos consistente. Como não costumo conseguir tapar todo o tabuleiro, estico o melhor que consigo e depois faço o resto do trabalho com as carnes: ponho uma fatia de fiambre num canto da massa e vou empurrando o fiambre, e a massa junto, até ao canto do tabuleiro. Vou fazendo o mesmo no resto da massa com mais fiambre.
Por cima do fiambre coloco o chourição, depois o bacon, e termino com mais uma camada de fiambre. Coloca-se o resto da massa por cima e estende-se até cobrir todo o recheio. Se necessário, puxar a massa de baixo para unir bem as bordas e tapar totalmente as carnes. Unta-se o topo da massa com azeite, tapa-se com um pano e deixa-se levedar novamente até dobrar de volume novamente (mais ou menos 1 hora).
Aquece-se o forno a 200º e vai ao forno 20 a 30 minutos. Se começar a dourar depressa demais, cobre-se com papel de alumínio.

Notas:
- As carnes que uso são, normalmente, estas. Uso o dobro do fiambre por não ser tão salgado. Desta vez o chourição estava cortado muito grosso; desconfio que em fatias mais finas 100 g tinham chegado. Cada um pode usar o que preferir, inclusive carnes cozinhadas desfiadas, como frango ou carne de porco;
- No blog de onde veio a receita tem um passo a passo excelente, que mostra todos os passos e o aspecto com que a massa fica, antes e depois de levedar;
- O uso de fermento químico e bicarbonato de sódio numa massa lêveda pareceu-me estranho, mas fiz exactamente como ela manda e resultou bem, portanto, deve haver alguma razão que eu não conheço para que assim seja.

Sem comentários: