segunda-feira, abril 11, 2011

Um bom dia

Pois é, nem só de pão vive o homem, e nem só de cozinhar vive esta mulher (com muita pena minha).
Quem me conhece já sabe disto, mas como pode haver alguém por aí que não me conhece de lado nenhum e que venha cá parar por obra e graça do espírito santo, vou contar uma pequena história com final (provisório) feliz.
O meu filho, agora com 18 meses (fez ontem!), nasceu com pé boto. Pé boto é uma malformação congénita do pé, em que o pé afectado está virado para dentro e para cima, com a planta quase (ou mesmo, no caso do Diogo) encostada à parte de dentro do tornozelo. Parece uma enorme desgraça, e para muita gente e durante muito tempo foi, mas um médico maravilhoso descobriu uma forma simples e altamente eficaz de tratar esta condição: o Dr. Ponseti

Depois de muito pesquisar na net, escolhemos este método de tratamento e o Dr. Nuno Alegrete como médico, a quem tenho muito que agradecer pela simpatia e disponibilidade que sempre mostrou, desde antes de o Diogo nascer. O Diogo foi tratado com 3 dias de vida, gessos semanais até aos dois meses de idade, com uma tenotomia pelo meio, e desde então usa umas botas especiais, inicialmente 23 horas por dia, agora só 14 (para dormir e pouco mais).

Descobri, entretanto, que existe uma verdadeira comunidade de pais de crianças com pé boto, composta exclusivamente por pessoas maravilhosas, de uma generosidade sem limites, algumas das quais me receberam de braços abertos quando lhes pedi ajuda (Rita, Catarina, obrigada hoje e sempre!). A “família” vai crescendo, com todos os novos “membros” a serem recebidos de braços abertos. Daí esta história, por isso e porque, hoje, tive uma boa notícia que me restaurou a fé na humanidade e até no frio mundo dos negócios.

Ontem, por ser tão "pequenino e franzino", o Diogo partiu uma peça da barra que liga as botas especiais que ele usa. Uma peça de plástico na barra de metal. Na barra que custa 80 libras e que vem especialmente da Inglaterra… Fui ao site da empresa a quem comprei as botas e a barra e vi que a barra tem garantia vitalícia: se partir, eles substituem. Sem grandes esperanças (a garantia não se deve estender à peça de plástico, deve ser só para a parte metálica) enviei um e-mail para a empresa, com o meu nome e e-mail e a expor o problema. Ontem, Domingo, a meio da tarde.
Hoje, mal abri o computador de manhã, tive a resposta: a garantia é, de facto, vitalícia e para toda a barra (incluindo as peças de plástico) e a peça de substituição ia ser enviada ainda hoje.
Fiquei felicíssima, respondi a agradecer e a perguntar se haveria alguma forma de evitar que a peça voltasse a partir-se. A resposta, mais uma vez, não se fez esperar: no correio não foi uma peça, foram duas, para o caso de voltar a acontecer!
O que dizer?... Sei que é uma questão de política da empresa que fabrica as botas (uma companhia americana) e da empresa que as distribui, sei que é o trabalho deles, mas a descoberta de uma política tão generosa em tempos em que ela é tão rara, quase me levou às lágrimas e tornou um dia que ameaçava ser medíocre, num dia francamente bom. Às duas empresas (C-ProDirect e MD Orthopaedics) só posso agradecer, por terem políticas de serviço aos clientes tão boas e por as porem em prática de forma tão célere.
Já agora, o pé do Diogo está óptimo, ele já anda (aliás, corre tudo) e estamos felicíssimos com a evolução do pé dele.

Aproveito, também, para agradecer às pessoas que encontrei neste caminho e que tanto me deram: Rita, Catarina, Sílvia, e principalmente ao Dr. Nuno Alegrete, por ter cuidado tão bem do pé do meu pequenote.
Se alguém aqui passar e isto lhe disser alguma coisa, só posso fazer como me fizeram a mim: estou ao vosso inteiro dispor para qualquer ajuda ou indicação de que precisem. Vejo o e-mail todos os dias e nunca vou dizer que não, disponham!
Obrigada a todos e uma boa semana!

Sem comentários: