quinta-feira, abril 21, 2011

Pão de Centeio e Azeite

 
Adoro fazer pão. Comecei há alguns anos por inspiração do excelente blog Pão, Bolos e Cia. (dêem lá um salto, vale mesmo a pena!) e, desde que o meu querido maridinho me ofereceu uma máquina de fazer pão no Natal, há dois anos, nunca mais parei. Ajuda o facto de viver metade do tempo em Bragança, a terra onde o conceito de Pão Quente ainda não chegou. Não me entendam mal, o pão transmontano é maravilhoso, mas gosto de pão mais fofo para fazer sandes, com uma côdea menos dura e espessa, e foi assim que comecei a fazer o meu próprio pão.
Como a máquina está em Bragança e eu passo metade do meu tempo no Porto, a receita do Artisan Bread pareceu-me, imediatamente, extremamente tentadora. Vi pela primeira vez no Pão Bolos e Cia. e não passou muito tempo até experimentar. Apesar da facilidade de poder deixar a massa no frigorífico para quando for preciso, ela é tão fácil de fazer que faço sempre a quantidade certa de que preciso e já a usei para tudo: desde pão a pizza, passando pela focaccia.
Normalmente uso a receita base, ou a receita da massa de pizza com azeite, que fica mais gostosa e macia. Todas estas receitas vêm do mesmo sítio: é a minha referência preferida para pão, as receitas são excelentes e resultam sempre. Desta vez, resolvi acrescentar um resto de farinha de centeio que já andava a chatear-me há uns meses. Também houve uma coisa que fiz diferente: em vez de seguir o método normal, como estava em Bragança, simplesmente pus tudo na MFP e deixei que a máquina fizesse o trabalho. O resultado não podia ter sido melhor. Aliás, tão bom que decidi que seria este o primeiro pão a ser partilhado no blog! Aqui está:

Para 1 pão:
300 ml água morna
50 ml azeite
½ c. sopa sal
70 g farinha de centeio
430 g farinha de trigo
½ c. sopa fermento de padeiro seco

Coloca-se os ingredientes na máquina de fazer pão pela ordem indicada, liga-se o programa Massa e deixa-se chegar ao fim. Depois de apitar, deixa-se ficar mais meia hora.
Tira-se da máquina, dá-se a forma de um cilindro e coloca-se numa forma de bolo inglês untada com azeite. Deixa-se levedar mais duas horas. Liga-se o forno a 200º e, quando estiver bem quente, dão-se uns golpes no pão na diagonal (uma faca de serrilha bem afiada funciona melhor) e vai ao forno a cozer.
O meu começou a ficar dourado ao fim de 20 minutos, então tapei com papel de alumínio e deixei mais 20 minutos (40 no total). Ficou com uma côdea deliciosa, estaladiça e relativamente grossa. Se tivesse cozido menos 5 ou 10 minutos teria, provavelmente, ficado com a côdea mais fina.

Notas:
- O azeite dá uma textura e sabor inconfundível à massa e, principalmente à côdea. Se não gostarem de azeite, podem untar a forma com manteiga, deve ficar igualmente delicioso;
- Pode-se fazer este pão recorrendo ao método normal do Artisan Bread, tão bem explicado e demonstrado no Pão, Bolos e Cia. (uma dica: não exige tempos infinitos a amassar, é mesmo fácil);
- O miolo deste pão é muito macio e, como tem pouca farinha de centeio, tem apenas um toque de cor e sabor diferentes. O pão ficou tão bom, tão cheiroso e tão irresistível que foi, nessa noite, o meu jantar, assim mesmo, sem mais nada!

2 comentários:

Pão, Bolos e Cia. disse...

Que pão lindo, a cor e a textura estão muito boas.
Obrigado pelas visitas e bons pães ;)

Helena Mouta disse...

Eu é que agradeço a visita e a receita. Esta receita de pão (bem como mais algumas do seu blog) têm-me acompanhado há bastante tempo, sempre com imenso sucesso!