sexta-feira, dezembro 09, 2011

Bolo-Rei



…Ou Rainha, ou o que a gente dele quiser fazer. Há alguns anos que venho fazendo bolo-rei em casa. Não porque não haja por aí fartura de bons bolos-reis, mas porque cá em casa ninguém gosta de frutas cristalizadas e não nos apetece minimamente pagar a exorbitância que se costuma cobrar por bolo-rainha… Principalmente quando há amêndoas caseiras em abundância! Então, depois de muito pedir, a minha cunhada arranjou-me uma receita de bolo-rei de uma amiga, de família, secreta. E absolutamente maravilhosa! Não sei quem foi a amiga, mas desde já aqui fica o meu muitíssimo obrigada pela receita, é verdadeiramente esplêndida!

         E não, não é essa que aqui vou deixar… Afinal, é secreta e foi passada à minha cunhadinha com a promessa de que não seria revelada a ninguém, portanto, fique descansada amiga que a sua receita está segura! Esta é outra, não tão esplêndida, mas muito mais fácil de preparar e de resultados extremamente satisfatórios. Baseada nesta receita de pão, já tantas vezes testada e sempre aprovada, resolvi fazer algumas alterações aos ingredientes, mantendo o método. O resultado não podia ter sido melhor! Tão bom, de facto, que resolvi fazer outra vez e fotografar, só para poder partilhar convosco a tempo do Natal! Bom apetite!

Ingredientes (para um bolo-rei de cerca de 800g):
100 ml leite
50 g manteiga
75g açúcar
2 ovos
2 c. sopa vinho do Porto
2 ch. + ½ ch. farinha sem fermento tipo 65 (240g + 60g)
½ pacote fermento de padeiro seco (usei Fermipan)
¼ c. chá bem cheia de fermento em pó
¼ c. chá mal cheia de bicarbonato de sódio
1 c. chá sal fino
1 ½ ch. mistura de frutos secos picados grosseiramente (ou uma mistura de frutos secos e cristalizados; neste caso, reduzir a quantidade de açúcar para 50g)
1 ovo para pincelar
Frutas secas e cristalizadas, geleia e açúcar em pó para decorar

Aquecer o leite com a manteiga até esta derreter. Bater os ovos com açúcar e o vinho do Porto. Juntar aos ovos o leite quente em fio e mexendo sempre. Juntar 2 ch. de farinha e o fermento de padeiro e mexer até incorporar. Tapar com um pano e deixar levedar 1 hora.

Juntar mais ½ ch. de farinha, o fermento em pó, o bicarbonato e o sal e mexer bem. Juntar os frutos secos (ou secos e cristalizados) e mexer até estarem bem distribuídos. A massa deverá ficar relativamente mole, um pouco difícil de trabalhar, mas o suficiente para formar o bolo. Senão, deixar repousar no frigorífico uma ou duas horas, até estar mais firme.

Forrar um tabuleiro com papel vegetal e polvilhar com farinha. Deitar a massa no tabuleiro, formar uma bola e abrir um buraco no meio. Convém que o buraco fique bem grande, pois o bolo leveda e tende a fechar se não for suficientemente grande (mas, também, não vem mal ao mundo se o bolo rei não tiver buraco – o meu não teve…). Tapar com um pano e deixar levedar até dobrar de volume, 1 a 2 horas.

Aquecer o forno a 180º. Pincelar o bolo-rei com a gema batida com um pouco de leite e enfeitar com os frutos. Fazer montinhos com o açúcar em pó no meio das frutas. Quando o forno estiver quente, colocar o tabuleiro com o bolo no meio do forno e deixar cozer 20 a 30 minutos (o meu demorou pouco mais de 20 minutos), até estar dourado e bem cozido (se lhe batermos no fundo, deve soar a “oco”).

Retirar do forno, aquecer a geleia no microondas (1 ou 2 colheres de sopa chegam) até estar líquida e pincelar todo o bolo, incluindo as frutas.

Notas:
- O comentário cá em casa foi que o bolo não parecia bolo-rei, porque estava extremamente fofo. É assim que eu gosto dele, bem fofinho, mas se o quiserem menos fofo, é só juntar mais alguma farinha, ½ ch. a mais deverá chegar. Esta adição de farinha tem também o efeito de tornar a massa mais consistente, mais fácil de moldar sem ter que ir ao frigorífico.

- O bolo que fiz levou apenas 50g de açúcar, mas estava pouco doce (quase nada). Esta quantidade deverá dar um bolo-rei, ainda assim, pouco doce. Se quiserem, podem aumentar, mas não aconselho a aumentar muito – o bolo-rei não é um bolo propriamente doce.

Sem comentários: