sexta-feira, março 18, 2011

Molho Branco

Desta vez a receita (se é que lhe podemos chamar isso) não tem foto… Podia apresentar várias, até porque uso este molho branco em tanta coisa que não seria difícil, mas vou deixar as fotos para as muitas receitas que vou fazer com ele daqui para a frente.

Isto é a minha versão de molho béchamel, que toda a gente acha dificílimo. Não é, mas assim é mais fácil. Quer dizer, não é bem a minha versão… É a versão da minha mãe, que me ensinou assim. A verdade é que, lá em casa, nunca se fez o verdadeiro molho béchamel… Fiz eu, há tempos, para ver a diferença em termos de sabor e textura. O veredicto foi definitivo: não compensa o método tradicional! Assim é mais fácil e a probabilidade de acabar com um tacho cheio de leite aos bocados é bem mais pequena!

Então é assim:

0,5 l leite

20 g manteiga ou margarina

2 c. sopa cheias de amido de milho

Sal, pimenta, e outros temperos a gosto

Coloca-se 4 dl do leite a ferver com a manteiga e os temperos. Desfaz-se o amido de milho no restante leite, mexendo bem para não ficar com grumos. Quando o leite começar a ferver, despeja-se a mistura de amido de milho e leite (que se mexe mais uma vez), mexendo sempre com uma vara de arames. Baixa-se o lume para médio e deixa-se ferver, mexendo sempre, até que deixe de saber a farinha (3 ou 4 minutos, no máximo).

Rectificam-se os temperos e a consistência: se estiver muito grosso, acrescenta-se um pouco de leite; se estiver muito líquido, desfaz-se mais um pouco de amido de milho em um pouco de leite ou água e junta-se em fio, mexendo sempre com a vara de arames.

Notas:

- Estas quantidades fazem um molho bastante espesso; se se quiser algo mais líquido, pode-se reduzir a quantidade de amido de milho para metade e, se for necessário, acrescentar mais um pouco mais tarde.

- Se ficar com grumos, passa-se a varinha para os desfazer.

- Pode-se usar imediatamente, ou guardar no frigorífico até ser necessário. Pode-se congelar, se sobrar. Quando necessário, é só deixar descongelar e aquecer no microondas, mexendo até voltar a ficar cremoso.

- Aviso à navegação: isto NÃO é béchamel! É parecido o suficiente para mim, e uso-o sempre que a receita pede béchamel, mas não deixa de ser uma “aldrabice” culinária.

Sem comentários: